sexta-feira, 10 de junho de 2016

Da covardia

Aparentemente, a meu ver, a covardia não é nada mais que uma expressão do medo, contudo, quando pensamos em medo, o vemos de forma muito particular, como se afetasse somente a nós próprios, mas quando falamos em covardia, parece-me que é extensiva e alcança quem tem que alcançar, portanto, a covardia tem alvo. Como disse Gandhi "o medo tem alguma utilidade, mas a covardia não".

Não me sinto em condições de apontar o dedo para aspectos humanos que reconheço nos outros pelo fato de não faltarem em mim, como a covardia, creio que todos nós somos passíveis de cometer atos covardes.

Há quem seja covarde a em regime integral, levando a covardia consigo o tempo inteiro, são os que agem por trás, os que esperam a queda do adversário e se alegram enormemente em ser covardes. Depois há os covardes moderados, que são aqueles que ponderam entre uma covardia e outra, e só são covardes quando necessário, ou seja, quando para benefício próprio necessitam agir de forma covarde, existem também os corporativos tendenciosos, os que se apoiam nos atos de covardia, são covardes por que sentem-se amigos fiéis ao se juntarem em covardias, o que é um contrassenso, por que também é próprio do covarde abster-se quando convém, quando tem lado definido mas não quer se colocar, faz-se de neutro, covardes não costumam tomar partido quando podem ser implicados.

Existem muitos tipos de covardes, mas tem um que considero bem estranho, são os covardes do coração, os que temem gostar de alguém, e criam desculpas, os covardes do coração são pró-sexo e anti-amor, podem fazer sexo, por que não tem medo de provar pessoas, mas são covardes para amar, para eles não existe essa possibilidade, o que faz deles o tipo de covarde mais patético, o covarde da meia entrega, não serve nem para fazer covardias, é desqualificado até para o que é mais falso na vida.

Covardia é pior que medo! Medo você sente, covardia você constrói, é pensada! O covarde passa tempo arquitetando e inventando desculpas para si e para os outros, cria todo o tipo de estratagema para não se autodenominar covarde, quer se eximir da culpa por que sabe que a covardia fere, essa é a maior diferença entre o medo e a covardia, por que o medo, ainda que cause dor, é medo, qualquer um compreende, é humanamente justificável ao contrário da covardia, que ninguém explica.

2 comentários:

  1. Compartilho da mesma mesma ótica. Tenho identificado muitos covardes de coração. Acho essas pessoas deprimentes, e estar junto a elas não é só triste, é autodestrutivo. Nos afastemos do desnecessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, é autodestrutivo, e ninguém precisa disso! E como não somos capazes e creio que nem temos pretensão de mudar o "modus vivendi" das pessoas, sensatez é deixar para trás o que faz mal.

      Excluir