domingo, 2 de outubro de 2016

Mar-amor

Eu não entendo patavinas de navegação, mas imagino que o sucesso da viagem de uma embarcação dependa de condições favoráveis como a força e a direção do vento, as marés, e tudo mais que eu não percebo mas já vi em filmes. Ah, e claro! Convém que a embarcação esteja em boas condições físicas, é preciso que esteja íntegra para que possa completar a viagem sem que na primeira tempestade as ondas lhe arrebentem o casco, e não pode faltar uma boa capitã ou capitão na direção.
Pois é, estando eu aqui matutando entre as trivialidades da vida, pus-me a pensar em algumas questões acerca do amor, não sei se a ele cabe o lugar de mar ou embarcação, mas quando imagino o amor entre duas pessoas, imagino-as como se fossem uma embarcação. Quando penso na durabilidade dos amores, penso na viagem que seguem, portanto, o mar pode ser o amor, sim, digamos que o mar seja o amor, e vai um casal-embarcação pelo mar-amor.
Não podia ter imaginado melhor analogia dado o meu medo de mar, amor, embarcações e pessoas. Pois então, pelo adiantado da hora, seguirei sem mais preâmbulos, eis o que imagino:
Uma embarcação, que são essas pessoas que se amam, ou coisa que o valha, ou sabe se lá por que, resolvem ir juntas pelo mar, e como vemos, algumas embarcações são lindas e seguem lindas mares sem fim, depois há aquelas embarcações que já parecem deixar o cais sem direção, e seguem ao deus dará, e são por vezes até bem sucedidas, mesmo sem saber para onde ir, os bons ventos as levam longe, livres de tempestades, seguem serenas e inteiras mar adentro.
Eu poderia falar das desastrosas embarcações que afundam tão logo deixam o cais, ou daquelas que mesmo saindo para a viagem em boas condições são castigadas pelas intempéries do tempo e se veem forçadas ao retorno, e sábia é a capitã ou o capitão que sabe a hora de voltar. Não vou falar das embarcações mal governadas, não me interessa falar do que vai mal, o que me interessa é dizer que para mim, hoje, depois de meditar um pouco, me intriga o mar e o amor, e digo mais, quisera eu saber como manter uma embarcação em águas serenas e navegar tranquila pelo mar-amor, quisera eu empreender uma viagem maior que meu medo e linda e cheia de amor, como eu mereço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário